O Verdadeiro Mau

março 26, 2009

“ Ai dos que se amarram aos seus pecados com mentiras! Eles andam arrastando a sua maldade como quem puxa um carro e dizem: “ Que Deus se apresse e faça logo o que vai fazer para que nós fiquemos sabendo o que é! Que o Santo Deus de Israel realize depressa os seus planos para que nós possamos conhece-los.” “Ai dos que chamam de mau aquilo que é bom e que chamam de bom aquilo que é mau, que fazem a luz virar escuridão e a escuridão virar luz, que fazem o amargo ficar doce e o que é doce ficar amargo!”

Ao ler esta manhã Isaías 5: 18-21, pude perceber como podemos ser tolerantes ao nosso pecado e manipuladores das situações para que possamos nos convencer, como também quem está em nosso redor, que o que fazemos e queremos é bom, doce e brilhante, enquanto por dentro se está morto, cristalizado pela religião, desviado dentro da igreja. Isto é chamar de bom o que é mau.

Mascarar o pecado e a iniquidade em nossas vidas é tão terrivel aos olhos de Deus quanto tentar matar através de criticas, retaliações ou nossos métodos religiosos o que realmente vem de Deus. Isto é chamar de mau o que é bom. É mau porque os caminhos de Deus e a didática celestial não agradam ao homem ou fogem da limitada percepção humana do Deus ilimitado.

Muitas vezes ficamos indiginados porque não rompemos em nossos ministérios e vidas e dizemos sermos perseguidos, que os outros nos julgam chamando de mau o que é bom, mas não pensamos que podemos estar do outro lado da moeda ao não sermos transparentes com Deus, confessando nossos pecados e endireitando nossas vidas. Vive-se uma vida sem compromisso chamando de bom o que é mau, ansiosos e impacientes para conhecer o que Deus tem para nossas vidas sem se importar em conhece-lo intimamente. Vivendo profundamente na superfície da vida cristã. E isso com certeza é muito mau, escuro e amargo.

Anúncios

Ao Deus Desconhecido

março 22, 2009

Era uma vez em Atenas, 600 anos antes do Nascimento de Jesus. Atenas estava dominada por uma praga que afligia todo o povo.

A sacerdotisa da cidade disse que todos os sacrifícios que haviam sido feitos apaziguaram todos os deuses menos 1.

Então Nícias um dos conselheiros deu a idéia de irem até Cnossos na ilha de Creta para trazer um home chamado Epimenides.

A sacerdotisa disse que ele seria o único capaz de apaziguar o deus desconhecido que ainda não tinha recebido os sacrifícios.

Creta é a maior das ilhas gregas e a quinta maior do Mediterrâneo. Assim Epimenides fez uma grande viagem até chegar em Atenas.

Quando Emipenides chegou em Atenas ao andar pelas ruas percebeu quantos deuses haviam naquela cidade…. centenas de centenas…..

Ao ser interrogado de como faria aquela praga cessar sobre a cidade, Epimenides ordenou que ao nascer do sol trouxessem um rebanho de ovelhas, um grupo de pedreiros e uma grande quantidade de pedras e argamassa até a ladeira coberta de relva, ao pé da rocha sagrada, as ovelhas deveriam ser todas sadias, brancas ou pretas.

As ovelhas não poderiam comer depois do descanso noturno, deveriam ser ovelhas famintas….

Todos acharam muito estranho as orientações de Epimenides mas tinham nela a única esperança. E mesmo incrédulos seguiram as instruções de Epimenides.

No outro dia bem  cedo todos foram ao pé o monte sagrado e Epimenides começou a dizer ……

“ Vocês já se esforçaram muito ofertando sacrifícios aos seus numerosos deuses e foi inútil, na verdade existe ainda um outro deus cujo nome não conhecemos e que não está sendo representado por nenhum outro ídolo nesta cidade……e vou supor que este deus é bastante poderoso e suficientemente bondoso para livrar Atenas desta praga, se apenas pedirmos sua ajuda.”

Depois de dizer estas palavras Epimenides mandou que soltassem o rebanho junto a relva onde encontrariam alimento, as ovelhas deveriam ser seguidas por homens que observariam o comportamento daqueles animais.

Então Epimenodes orou: “ Ó deus desconhecido! Contempla a praga  que aflige esta cidade, e se de fato tens compaixão, perdoa-nos e ajuda-nos, e revela tua disposição em nos responder fazendo com que qualquer ovelha que te agrade deite na relva ao invés de pastar. Escolhas as brancas ou pretas e aquelas que te agradarem iremos sacrificar”.

Aos poucos algumas ovelhas foram se deitando apesar de toda relva suculenta e de estarem famintas.

Então Epimenides ordenou que onde cada ovelha havia se prostrado deveria ser construído um altar com as pedras e argamassa, onde aquela ovelha deveria ser sacrificada.

Após construírem os altares, os pedreiros perguntaram qual deveria ser o nome do deus a ser gravado nos altares.

Mas Epimenides desencorajou-os ao dizer que o deus desconhecido havia se agradado justamente da humildade deles em reconhecer a ignorância em que viviam e que não poderiam correr o risco de dar nome ao deus que eles sequer conheciam. Então simplesmente escreveram:

“ AO DEUS DESCONHECIDO”

No final de uma semana depois dos sacrifícios, os doentes já estavam curados…..e reconheciam que o Deus Desconhecido havia sido bondoso para com eles.

Mas com o tempo eles se esqueceram daqueles altares e do Deus desconhecido e voltaram a adorar seus outros centenas de deuses. Vândalos demoliram alguns dos altares e os mesmos ficaram sobre o musgo e o mato.

Anos mais tarde dois anciãos se lembraram da importância dos altares, já que eram crianças quando tudo aconteceu, e resolveram preservar um único altar que ainda estava em boas condições na esperança de que no dia em que este Deus Desconhecido revelasse o seu nome, o povo de Atenas pudesse saber que um dia este Deus os salvou da morte…..

Está história é um relato de Diógenes Laércio, um autor grego do século III A.D, na obra clássica “As vidas de filósofos eminentes”.

Cerca de 640 anos depois deste acontecimento o Apostolo Paulo viajou para Atenas e percebeu que a idolatria dominava a cidade. Centenas de deuses estavam expostos por toda a cidade. Atenas continuara a mesma desde os tempo de Epimenides. Indignado com a situação de idolatria Paulo pregava nas sinagogas e nas praças para os judeus e gentios para que eles se arrependem-se.

Alguns filósofos se levantaram contra ele porque Paulo falava de Jesus e da ressurreição, o que para eles era apenas mais um novo deus entre os centenas que eles conheciam.
Então Paulo foi convidado para ir ao Areópago falar para todos sobre sua nova doutrina. O Areópago era um conselho que discutia a educação e a religião e no passado havia sido o principal órgão judicial de Atenas. Era portanto um importante centro de estudo da época.

Em Atos 17:22 vemos a continuação da historia : “Então, Paulo, levantando-se no meio do Areópago, disse: Senhores atenienses! Em tudo vos vejo acentuadamente religiosos, porque, passando e observando os objetos do vosso culto, encontrei também um altar no qual está inscrito: Ao Deus Desconhecido. Pois esse que adorais sem conhecer é precisamente aquele que eu vos anuncio.”

Anos de história de cruzaram neste momento. Deus havia se revelado ao povo de Atenas cerca de 630 anos antes da visita de Paulo a Atenas, e havia deixado explicito um sinal que nosso Deus opera através do tempo, articulando a historia e a vida da humanidade.
Não apenas se revelou como um Deus que eles ainda não conheciam como também  mostrou  a eles que o mal que os afligia somente seria aniquilado quando o sacrifício do cordeiro fosse feito, uma alusão clara a morte de Jesus, como o cordeiro puro e sem macula, pelos nossos pecados.

Através do altar “Ao Deus Desconhecido” Paulo conseguiu um ponto de conexão com os atenienses que começaram a ouvir suas palavras até que Paulo  contou a eles sobre a ressurreição de Jesus. Naquele momento o conhecimento humano dos atenienses os impediu de verem que nosso Deus opera milagres e maravilhas. Pensaram que Paulo era louco e não quiseram mais ouvi-lo.

Mas um grupo de pessoas receberam aquelas palavras e creram dentre elas Dionísio. O nome Dionísio significa ressurreto da morte, foi por isso que este homem se arrependeu de sua idolatria, as palavras de Paulo foram de encontro ao seu próprio nome e ele se identificou com a mensagem das boas novas.

Deus existe, Ele é real. E muitas vezes nos relacionamos com Ele como se fosse um Deus desconhecido, distante. Um Deus onde seus feitos são apenas  historias milenares contadas na Bíblia. Vivemos as experiências das pessoas que estão ao nosso redor, mas não conhecemos Deus, Jesus intimamente, seguimos ignorantes quanto a tudo que Ele tem preparado e feito pela humanidade ao longo da história. E muitas vezes, como os atenienses vemos os milagres e as curas mas deixamos o tempo apagar nossas memórias. Isto acontece porque somos religiosos e não adoradores e seguidores de Jesus, o Deus que se fez conhecido e viveu entre nós.
O meu chamado para você hoje é para se arrepender por viver na superficialidade da vida crista, por ser um religioso que pensa que serve a Deus, mas na verdade fala, canta e dança de um Deus que ainda  é desconhecido  por falta de intimidade com Ele. Meu chamado é para você buscar conhecê-lo intimamente, conhecer sua palavra e seu poder que tem se revelado a nós a cada dia.

Saia da superficialidade da religião.


Treinamento Espiritual

março 18, 2009

Fazem 5 meses que estou na academia fazendo musculação e treinamento aeróbico para melhorar meu condicionamento físico. Confesso que amo dançar, caminhar em um lindo lugar, me exercitar a céu aberto. Mas ficar em um lugar fechado me exercitado é realmente um sacrificio e preciso fazer um esforço grande para não sair correndo da academia. Para mim, ir à academia é um mal necessário, preciso me exercitar, afinal meu corpo é também instrumento para serviço do meu Rei, Senhor Jesus. E nesta semana pude fazer uma reflexão durante meus 40 minutos de caminhada na esteira( exercício mais penoso para mim).

Comecei a pensar quanto tempo gastamos para atingir nossos objetivos físicos, intelectuais e emocionais, se necessário passamos horas a fio nos dedicando na academia, ou acordado de madrugada se preparando para um consurso ou uma prova da universidade ou do colégio e muitas vezes não conseguimos ter a mesma disciplina para paramos na presença do Senhor e beber Dele. E  sabe por que? Por que sabemos que Deus é bom e sua misericordia dura para sempre e temos aquele pensamento : “Ah! Deus conhece minhas limitações e sabe que não consigo e que só posso ir até aqui.”

Deus é bom e misericordioso mas o professor, o mercado de trabalho, o chefe ou mesmo o tempo que nos envelhece é implacável, irredutivél e não há espaço para a negociação. Assim ou você se dedica e se prepara ou você está fora. Ainda que saibamos que Deus nos ama como somos de certa forma está displicência espiritual também nos deixa fora, talvez não do céu, mas de viver a plenitude do que Deus planejou aqui na terra, de viver realmente mergulhado na presença Dele, de experimentar seu poder, de curar os esfermos e ressucitar os mortos.

Assim durante meu exercicio na esteira me lembrei de ICo 9:24 a 27 .

“Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. Todo atleta em tudo se domina: aqueles para alcançar uma coroa corruptivel; nós porém, a incorruptível. Assim corro também eu, não sem meta;assim luto, não como desferindo golpes no ar. Mas esmurro o meu corpo e o reduzo a escravidão , para que, tendo pregado à outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado”.

Por isso quero encorajar você que como um atleta inicie uma preparação do seu espírito e de sua alma, implantando em sua vida uma disciplina de devocional, começando progressivamente a separação de 5 minutos, 10, 30, 1 hora para estar diante de Deus ouvindo e falando para Ele. Até que o devocional seja para você ( e também para mim) algo tão natural quanto respirar. Isto porque acredito que iremos enfrentar a maior prova de todos os tempo, os sinais tem apontado para a volta de Jesus, acontecimento que será antecedido pelas tribulçaões e pelo amor aos prazeres deste mundo, onde muitos se esfriariam e se perderiam, apostando-se da fé.  Então se prepare para o que eu acredito que será a maior e mais desafiadora corrida de todos os tempos rumo a coroa da vida!


Conhecendo a Deus

março 16, 2009

Estamos nos preparando para o Congresso de Louvor do Diante do Trono. E mais do que nunca a palavra que Deus tem colocado no coração dos nossos líderes é uma busca de intimidade crescente com Deus, não porque iremos ministrar para centenas de pessoas na Pascoa, mas porque carecemos do amor de Deus.

 

Temos aprendido que Deus é uma pessoa e que Ele deseja se relacionar conosco, Deus espera em todas as manhas um sorriso , um bom dia , um “eu te amo”. Buscar e conhecer a Deus profundamente é mais importante do que falar dele. E é por isso que hoje gostaria de compratilhar com vocês algumas reflexões de homens como nós que buscam a face de Deus e não apenas suas mãos.

 

“ A aurora é o portão do dia e deve ser guardada com orações. Quem sai correndo da cama para os negócios e não espera para adorar é tão tolo quanto quem não se veste ou não lava o rosto ou tão insensato quanto o que se lança na batalha sem armass nem armadura. Que nos banhemos no rio refrescante da comunhão com Deus antes que a solidão e o peso da estrada comecem a oprimir-nos” ( Charles Spurgeon)

 

“ Deus é uma pessoa e, como tal, aprecia cultivar relacionamento. Deus é uma pessoa e, na profundidade de sua natureza poderosa, Ele pensa, alegra-se, sente, ama, deseja e sofre como qualquer outro. Deus é uma pessoa e pode ser conhecido em crescente intimidade à medida que preparamos o coração para tal maravilha ( A.W. Tozer).

 

O missionário A. Sydenstricker narrou o seguinte:  “Certo labrador leu a bíblia inteira, todos os anos, durante 50 anos. Tinha sete filhos. Cinco tornaram-se ministros do Evangelho, e dois foram aciãos da igreja. Faz mais de 40 anos que um dos filhos de um dos cinco ministros é missionário na China, e eu sou esse filho.” ( Orlando Boyer).

 

Estamos vivendo tempo difíceis e de provações e apenas aqueles que conhecem a Deus intimamente serão capazes de reconhecer e ouvir sua voz nos direcionando a lugares seguros em meio a tribulação.