PASCOA

abril 10, 2009

A vida de Jesus foi marcada por acontecimentos incríveis, milagres, curas e quebrantamento. E nos dias que antecederam sua crucificação na Festa da Páscoa  3 episódios da vida de Jesus são para mim princípios que devemos exercer em nossa vida cristã: a mulher que ungiu os pés de Jesus e os secou com seus cabelos, a entrada de Jesus em Jerusalém, e quando Jesus lava os pés dos discípulos.  Vou escrever sobre o 1o e o 3o acontecimento já que no post “ Dias que antecedem a Páscoa” compartilhei com vocês esta mensagem.

Mateus 26:6-13 nos conta que Jesus estava em Betânia na casa de Simão  sentados a mesa junto com outros convidados. Foi neste momento que uma mulher entrou na sala e derramou nos pés de Jesus um vidro puro de nardo ungindo-os e secando-os com seus cabelos. Aquela mulher foi criticada pelos que estavam ali. A mesa é um lugar onde nos reunimos para nos alimentar, para  ter comunhão e Jesus estava ali naquele lugar pronto para ter comunhão  e alimentar os que estavam ali, mas apenas a mulher teve coragem de se prostar aos pés do Senhor. Naquela época apenas os servos se abaixavam e lavam os pés dos seus senhores, assim as pessoas que estavam na mesa com Jesus tinham uma falsa intenção de estar em comunhão com Jesus, de servi-lo, de ter sua vida tocada e transformada por Ele, apenas a mulher estava desesperada para adorar a Jesus.

A bíblia inclusive nos diz que Simão era leproso e justamente por isso deveria ter sido o primeiro a se prostar aos pés de Jesus para ser curado, mas seu orgulho o impediu de ser curado. Podemos  estar assentado na mesa com Jesus, irmos aos cultos e até falarmos dele, mas se deixarmos nosso orgulho e religiosidade nos impedir de nos quebrantarmos em uma adoração genuína continuaremos doentes mesmo tendo estado perto de Jesus.

Em João 13 Jesus lava os pés dos discípulos, atitude que era realizada apenas pelos servos, neste momento Jesus nos ensina que devemos ser servos um dos outros, ajudadores, servos do reino e dos propósitos de Deus, unidos para levarmos a mensagem de Cristo a todos os lugares. Esta atitude de Jesus foi um carinho com os discípulos, Ele sabia que aqueles pés andariam por muitos lugares e que os discípulos seriam cuspidos, apedrejados, crucificados de cabeça para baixo, partidos ao meio e decapitados por amor a Cristo. Mas como disse o profeta  formosos são os pés dos que anunciam as boas novas.  Evangelho também é renuncia e dor. O fato de estarmos no Brasil, um pais de livre culto, nos aliena muitas vezes das dores de nossos irmãos ao redor do mundo, muitos tem morrido por Cristo assim como na época dos discípulos e mesmo estando aqui Deus nos chama para compartirmos esta dor com nossos irmãos ao redor do mundo orando e intercedendo por eles junto a Deus., pois somos um corpos e se uma parte sofre todo o corpo padece.

QUE SEJAMOS QUEBRANTADOS E UNIDOS PARA QUE O NOME DO SENHOR SEJA EXALTADO EM NOS E ATRAVES DE NOS!


Jesus está na cidade

abril 3, 2009

“No inicio da Festa da Páscoa, o sumo sacerdote judeu e toda a ordem religiosa estavam dentro do tempo orando pela vinda do Messias. Você consegue imaginar esses líderes religiosos orando dentro do templo –“ Envie-nos o Messias! – da maneira que os judeus ortodoxos faziam? Enquanto isso, Jesus montou em um burrinho e passou por uma vida cheia de folhas de palmeiras e mantos.

O barulho da multidão contente era tão alto que posso ouvir o sumo sacerdote perguntando a um de seus sacerdotes:
Por que tanto barulho lá fora? Vá e veja o que eles estão fazendo. Depois de um tempo ele retorna e diz: Senhor, não está nada bom. O senhor estava certo, há uma parada lá fora, e eles nem ao menos têm permissão! Estamos no meio de um dia altamente sagrado e, pior que isso, aquelas pessoas estão arrancando a grama do jardim da igreja!

Se não tomarmos cuidado, podemos nos trancar em nossas tradições de igreja, agendas, programas e rituais vazios orando para que Jesus venha enquanto Ele está passando lá fora de nossa caixa religiosa! Podemos facilmente perder nosso momento de visitação, se Deus não vier no formato que pensamos que deveria vir! Só há uma forma de evitar o erro dos sacerdotes no dia da entrada triunfal: em algum momento devemos ficar desesperadamente sedentos por Deus.
Nós deveríamos simplesmente nos reunir no rio? Eu digo, pule nele! A terra prometida está esperando!”

Este é um trecho do livro “Os Descobridores de Deus do Tommy Tenney” e está mensagem , que está em tosos os evangelhos, me impactou profundamente principalmente pelo fato que estamos nas vésperas da Páscoa.

Se voltássemos no tempo este fato da entrada de Jesus em Jerusalém teria acabado de acontecer e como os fariseus naquela época muitos hoje estão preparando-se para a Páscoa, organizando congressos, ensaiando peças teatrais, coreografias e se Jesus não for o centro e a razão, tudo o que fizermos será apenas rituais religiosos, apresentações para as pessoas enquanto Jesus está em outro lugar, buscando os verdadeiros adoradores, os sedentos por Ele.

Que tudo o que fizermos nesta data seja única e exclusivamente para anunciar que o Salvador do mundo nasceu, morreu, ressuscitou e voltará. Que vivamos em comunidade momentos de profunda adoração e quebrantamento para aí sim sermos cheios de Deus prontos para anunciar as boas novas ao mundo.

Também me chamou a atenção o fato de que enquanto os fariseus estavam dentro do templo Jesus estava nas ruas entrando por Jerusalém montando em um jumento em cumprimento as escrituras. Este para mim é um chamado claro de Deus para nós mais do que nunca andarmos com Jesus nas ruas, em nossos trabalhos, nas universidades, no mundo fora da igreja declarando para `as pessoas “ Hosana ao Filho de Davi! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas!”

Que nestes dias que antecedem a Páscoa você possa estar onde Jesus está declarando a palavra dele e as boas novas, se consagre, busque a Deus, quebre as cadeias da religiosidade e expresse ao mundo que Jesus o Messias já veio e deseja habitar entre nós, nos nossos corações. Não perca está data que é uma importante oportunidade para dizermos `as pessoas o real sentido da Páscoa. Jesus o Messias está vivo!