Iara e Henrique

dezembro 27, 2008

Hoje, 27 de Dezembro, eu e o Henrique estamos  fazendo 8 meses de casados. Tem sido um tempo maravilhoso o que vem testificar que obedecer e estar no centro da vontade de Deus é a melhor escolha que podemos fazer.

Curiosamente apenas a poucos dias li o Blog da minha irmã Iana, sobre o meu casamento, me emocionei e gostaria de compartilhar este texto com vocês. Não é por acaso que tantas passagens na Bíblia relacionam a volta de Jesus com as bodas do cordeiro, o casamento de Jesus com sua noiva: a igreja, pura, santa e adornada. E é por isso que um dos principais ataques do inimigo que tem sido na dissolução de casamentos e buscando gerar frustração e desanimo na vida de tantas pessoas que estão na espera do amado , da amada.

Não sei se você é casado ou se está à espera do cumprimento desta promessa de Deus para sua vida, mas gostaria de incentivar você a fazer do seu casamento um ato profético na terra, declarando que um dia seremos 1 com o Senhor Jesus! Seremos sua noiva e adentraremos em suas recamaras! E se você ainda é solteiro que também possa fazer de sua espera um ato profético que proclama a nossa espera pelo amado de nossas vidas: Jesus.

Wednesday, April 30, 2008

O casamento da minha irmã…

Ver amigos casando é algo incrível. Ver minha irmã então, nem se fala…

Ao mesmo tempo que não me canso de pensar que o tempo passou rápido demais, consigo recordar de diversos momentos em que achávamos que ele não passava nunca. Das nossas brincadeiras de infância ao último domingo, parece foi um piscar de olhos.

O fato é que o Henrique chegou a BH há mais de dois anos, exatamente na semana que eu também voltava das férias que passei em terras paulistanas. O conheci por lá, como amigo de uns amigos, então quando todos vieram ministrar aqui, fiz questão de reencontrá-los. A Isa já os conhecia, então só faltava a Iara. Quem me conhece sabe: adoro apresentar pessoas queridas umas às outras. Aliás, não foram poucas as vezes em que meus amigos ficaram mais próximos entre si do que de mim! E foi um dia no boliche que a Iara topou sair e conhecer meus novos amigos. Ela andava meio triste e eu sabia que eles eram tão divertidos que fariam bem a ela. Dito e feito. Nos encontramos no shopping por volta das 20h00. Só chegamos em casa por volta das 4h00. Rimos, rimos, rimos e rimos. O passeio terminou na Praça do Papa, com muito sorvete, gargalhadas e fotos hilárias.

Aquele dia foi decisivo. Despretenciosamente a amizade entre eles começou. Os paulistanos continuaram em BH por uma semana, e nos vimos todos os dias. Depois foi a nossa vez de invadir Sampa e aí começou esse ciclo de indas e vindas. Como foi bom a Iara ter saído conosco naquele dia… Sem querer, sem planejar, eu apresentei minha irmã ao marido dela. Juro que nunca pensei que isso fôsse acontecer.(rs).

No domingo, a palavra do Gerson Ortega (nosso pastor do coração) foi precisa: para haver um casamento são necessárias três coisas: fé, base na Palavra e a ocasião. A Iara sempre soube que se casaria com um homem de Deus e creu nisso. O início do namoro deles, a mudança do Henrique para BH e o esperado pedido foram completamente embasados nas confirmações do Senhor. E a ocasião em que eles se conheceram está descrita acima. Foi assim que eles se casaram no dia 27.

O casamento foi em um jardim, um lugar lindo, com uma decoração lilás bem delicada. A música foi um dos pontos altos: nossos queridos Ortegas criaram um clima perfeito com flautas, violão e harpa. A Iara não entrou com a marcha nupcial, mas sim ao som de uma harpa celta. Difícil foi não se emocionar com todo o cenário que Deus criou. Nunca vi minha irmã tão linda e tão feliz, aliás, acho que nunca vi uma noiva tão linda… Sim, sou irmã coruja.

E foi assim. Do jeito que ela sonhou, celebramos. Tive o privilégio de estar ao lado da minha querida irmã durante os últimos preparativos da semana, e pude servi-la com uma alegria indescritível. Minha família é o que tenho de mais precioso nessa vida, e ver minhas irmãs felizes é a minha maior satisfação.

Fiquei pensando e descobri o seguinte: sentirei falta desses dias para sempre…

Esse é o dia que eles se conheceram.

Nós três em Firenze.

A mesa do bolo.

Anúncios